Resenha - Fernão Capelo Gaivota de Richard Bach (Desafio Literário 2013)

07 março 2013


Olá !

Está é mais uma resenha voltada para o Desafio Literário 2013, neste mês de março o tema é : Animais Protagonistas. 

Na minha lista original, o livro desse mês que me propus a ler foi Revolução dos Bichos do George Orwell, o qual estou lendo, mas li um a mais porque estava curiosa quanto a Fernão Capelo Gaivota de Richard Bach.



Há muito tempo ouço falar sobre esse livro, nunca tinha lido e nem chegado perto de saber qual era a temática, como ele era um dos livros sugeridos para o mês, resolvi lê-lo já que o tinha disponível.

Não sei muito bem o que falar sobre ele porque, ao mesmo tempo que ele traz uma mensagem positiva e sensível, eu me irrito um tanto quanto com livros com certo tom de auto-ajuda, e confesso eu não sei porque me irritam, mas eles me deixam incomodada.


Sinopse
Para as pessoas que inventam suas próprias leis quando sabem ter razão; para quem tem um prazer especial em fazer as coisas bem feitas, nem que seja só para elas; para as que sabem que a vida é algo mais do que aquilo que os nossos olhos vêem. 

Fonte : Skoob


Talvez o meu som contundente de desaprovação não seja culpa do livro, mas sim minha por ter certa dificuldade com livros que tentam passar uma “mensagem”.

Esse livro me lembrou muito a minha leitura de A Cabana que na minha opinião não é um livro ruim mas, que não tem nada em absoluto para acrescentar na minha vida além do fato de dizer que “Deus é bom” (axioma meio óbvio certo?). Não entenda aqui isso como uma crítica a religião não é isso (não quero polemizar, pelo AMOR DE DEUS!), eu mesma sou possuidora de uma fé particular, mas quando estou lendo livros de literatura não estou em busca de uma mensagem moral, ou de uma famosa idéia “tudo vai dar certo”, quero cultura e textos que me instiguem a mente, e se isso me levar a um questionamento moral/social o que seja, tudo bem mas isso dentro de um texto bem desenvolvido e que deixe o leitor decidir aonde quer chegar, com suas próprias concepções e resoluções. Leio livros espíritas e tudo bem, tem mensagens de amor e uma certa auto-ajuda, sim mas quando escolho ler livros espíritas, sei onde estou me “metendo”, essa é minha escolha naquele momento naquela situação. Mas, o essencial é cada macaco no seu galho, entende? 

Eu sei que qualquer livro transmite uma mensagem, uma idéia, que seja. Mas enfim, isso é só um ponto a acrescentar da minha opinião de misturar literatura comum com auto-ajuda (religiosa ou não) ou talvez a minha particular intolerância a lições de moral passadas de uma maneira rasa e cheia de clichês morais batidos.

O livro tem um texto simples e proporciona uma leitura rápida, são pouquíssimas páginas que você pode ler em uma tarde.

A leitura flui fácil, e pode sim tocar algumas pessoas, em suma a mensagem é que você não deve se conformar com o que você vê, ou com o que as pessoas dizem, mas que dentro de você há sempre aquela força que pode te impulsionar a coisas maiores. A busca pela perfeição, perfeição aqui usada na metáfora da gaivota que está em busca de alçar vôos maiores, ir além do que qualquer outra gaivota já foi, voar mais alto, mais veloz e por lugares que as gaivotas normalmente não podem ir. Enfim, como eu disse a mensagem é boa (eu é que sou chata mesmo), ao mesmo que Fernão Gaivota aprende, ele ensina a outros e passa a sua mensagem a frente, e ensina cada um a descobrir em si a capacidade de superar e realizar coisas impressionantes, mesmo que todos estejam contra você, sem apoio ou palavra de aprovação, mesmo assim somos capazes de realizar o que queremos e inspirar outros, que estejam abertos a isso, a fazer o mesmo.

Como eu disse a mensagem não é ruim, não há nada de mal no livro, a questão sou eu mesma que tenho problemas de “relacionamento” com esses livros. Que fique claro que não detestei o livro, nada disso, é só uma opinião pessoal. 

Portanto, se você gosta de livros que proporcionem ao leitor mensagens positivas, talvez você goste de Fernão Capelo Gaivota. 


Até mais !

8 comentários:

  1. Eu comprei Fernão Capelo na edição vira-vira, vi o vídeo da Morgana e me interessei pela história, agora preciso ler e saber se gostarei ou detestarei como não gostei de A Cabana e seu discurso... ZzzzZZ, eu dormi várias vezes durante aquele livro, rs


    Beigos!

    ResponderExcluir
  2. Boa Tarde!!
    Eu encaro: Fernão Capelo e Pequeno Príncipe como fábulas infantis, que a longo prazo, para pessoas que não gostam de ler - serve como uma leitura rápida e que passa uma mensagem, que por exemplo "A Espera de um Milagre" leva mais páginas para passar...
    Acredito que para "leitores intermediários e evoluídos" (inventei agora baseada naquela situação de jogos - risos) é difícil mesmo encarar esses livros como algo mais que "auto-ajuda" - eu li com 19 anos (há 24 anos atrás) e sinceramente, foi uma delícia - levinho e simbólico, o Céu não é nosso limite - risos...
    Bjins

    FLYRoBrasileira (DL2013)

    ResponderExcluir
  3. Livro clássico, vi não li a primeira vez quando era criança, um tio meu trouxe e falou louvores. Curioso li um dia desses. Não compromete, deu prá ficar entre os livros da estante.

    http://apoesiaestamorrendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Bom esse livro ao contrario do que dizem pra mim foi muito bom, achei linda a historia e durante um ano inteiro foi o unico livro que pude ler, pois quando estudava eramos obrigados a ler livros para fazer trabalhos porem nao tinha os livros disponiveis na escolas, tinhamos que comprar e eu nao tinha condições de compra-los, entao alguem me emprestou e e fiz meu trabalho , tirei o total, enquanto que os demais eu nao tirei nada pois li os livros. Entao pra mim ele e muito especial.

    ResponderExcluir
  5. Para mim foi um livro muito especial, gostei da historia. Tenho um carinho especial por ele ja que foi o unico livro que consegui ler durante quase dois anos na escola, pois naquela epoca os livros nao eram disponiveis tinhamos que compra-los pra fazer trabalho e eu nao tinha condiçoes, entao esse foi o unico livro que eu li. Me marcou muito.

    ResponderExcluir
  6. Vejo um preconceito rotular tudo como auto-ajuda e mais, colocar sempre um sinal de menos em tudo q rotulam como auto-ajuda, como se todos os livros de "auto-ajuda" fossem iguais. Parece que é "in" mas me soa como um clichê. Li Fernao ainda adolescente, depois vi o belíssimo e sensível filme, com uma trilha sonora maravilhosa de Neil Diamond. E ainda hoje me emociono com o filme e a música (que estou a ouvir neste momento). Rotulos nao colam em mim.

    ResponderExcluir
  7. Acabei de ler o livro e me apaixonei por Fernão Capelo Gaivota, se todo ser humano tivesse um pouco de Fernão o mundo teria menos depressivos pessoas menos frustradas, Fernão não deixou se intimidar, não deixou de acreditar na sua potencialidade e é isso que precisamos hoje em dia de acreditarmos mais em nós mesmo independente das circunstancia.

    ResponderExcluir
  8. li esse livro evio filme ha 38 anos e ainda hoje continuocom a mesma sensaçao.É muito bonito, nao somente pelo que vc pode aprender mas tb porque as cenas e musicas sao belissimas. Qualquer coisa que se aprende na vida depende da forma como vc enxega.

    ResponderExcluir

Olá ! Obrigada pelo comentário, ele será respondido aqui mesmo, ok!?
Obrigada pela visita e até mais!

 
FREE BLOGGER TEMPLATE BY DESIGNER BLOGS