O Cirurgião - Tess Gerritsen

23 novembro 2013

Esse  mês no Fórum Entre Pontos e Vírgulas, foi escolhido o romance policial, O Cirurgião de Tess Gerritsen. 

O Cirurgião
Tess Gerritsen
384 pgs
Editora Record


Tess Gerritsen é uma escritora norte-americana, formada em medicina, porém deixou de lado a sua profissão e tornou-se escritora de romances policiais. A sua série mais famosa é a Rizzoli & Isles, que contém hoje cerca de 10 livros escritos. 

O Cirurgião é o primeiro da série Rizzoli & Isles, e fala sobre um serial killer, que vem matando mulheres, na cidade de Boston da mesma forma que um outro assassino, aparentemente já morto, matava mulheres na cidade de Savannah. Dentre as vítimas de Savannah, uma sobreviveu a médica, Catherine Cordell, porém esta passa a ser perseguida pelo assassino de Boston, nesse ponto estabelece-se o mistério, trata-se do mesmo assassino ? Mas, ele não morreu? Ou trata-se de um imitador ? A trama se desenrola na resolução dessas perguntas.

A história se desenrola na caçada desse serial killer, conhecido como O Cirurgião, pois ele retira o útero de suas vítimas de uma forma bastante precisa, por isso o nome dado ao assassino. 

Tess Gerritsen
O romance alterna falas do narrador que nos conta o desenrolar da história e ao mesmo tempo, falas do assassino, no qual podemos mergulhar em seus pensamentos e nas suas teorias. Essas são passagens bastante tensas, proporcionam bons momentos ao livro. 

Eu confesso que não tenho muita familiaridade com romances policiais, por isso minha base de comparação é quase nula, já que esse é um estilo que não conheço, mas Tess conseguiu me prender durante toda a história, proporcionando momentos de tensão, acredito que digno de um bom romance policial.

Existem personagens clichês como o policial machista e violento (quase todos da delegacia onde os policiais da história trabalham), o policial bom, representando pelo parceiro de Rizzoli, Thomas Moore, que é o contraponto durante a história de toda a vitimização que Rizzoli se coloca, frente a atitude sexista de seus colegas. Moore é o oposto de todos eles, o policial sofredor, pois perdeu a mulher de sua vida, que anda com a aliança na mão mesmo depois de 2 anos de sua morte, porém trata Rizzoli de forma digna e igualitária dentro da polícia. Entretanto, ao longo da história a aura de "santinho" de Moore é um tanto quanto derrubada ou minimizada, porque afinal todos temos nossos pontos fracos. 

Rizzoli me irritou um pouco, tanta pela forma agressiva como lida com as pessoas e as situações, colocando-se como vítima sempre, tendo sempre um olhar de derrota e prostração diante das situações em que é colocada, com exceção das investigações, nas quais ela é extremamente competente, principalmente na observação de detalhes e lembranças de fatos passados, os quais ela consegue correlacionar com eventos mais recentes dentro das investigações. Rizzoli é um estereótipo, daquela que tem de enfrentar uma sociedade que ainda não respeita a mulher como uma profissional. É claro, que desafios assim acontecem todos os dias, porém a vitimização de Rizzoli irrita um pouco, no início, porém ela é peça chave para ir desvendando o crime ao longo da história.

Um outro ponto que me chamou a atenção, é que Rizzoli é um ponto importante dentro da história, já que a série é Rizzoli & Isles, porém na minha compreensão, o detetive Moore é mais presente do que Rizzoli, inclusive nas investigações, me senti um pouco estranha com a participação mais ativa de Moore, como disse não tenho intimidade de leitura com romances policiais e essa minha estranheza pode ser advinda daí. Entretanto, quando comecei a leitura pensei que o livro iria girar em torno da figura de Rizzoli, porém a história gira mais em torno da vítima principal Catherine Cordell do que da detetive, e não posso deixar de dizer que isso me causou estranheza. 

O livro em si como a proposta de um romance policial é muito bom, me prendeu na história, criando momentos de tensão ao mesmo tempo aquela curiosidade de saber enfim, quem era o tal cirurgião. Foi uma excelente leitura a ponto de me fazer ir atrás dos outros livros de Tess Gerritsen e de mais romances policiais.

E para quem gosta de série de televisão como eu, Rizzoli & Isles foi adaptada pelo canal TNT nos Estados Unidos para a tv, e atualmente está na 4º temporada, quem quiser pode acompanhar as histórias também pela televisão.

Até mais!

2 comentários:

  1. Melissa, gostei da resenha!
    Nunca li nenhum romance policial, assistia bem mais séries televisivas...
    Com as resenhas para o Fórum fiquei interessada pela história de O cirurgião, já anotei no bloquinho de querências.

    Beigos!

    ResponderExcluir

Olá ! Obrigada pelo comentário, ele será respondido aqui mesmo, ok!?
Obrigada pela visita e até mais!

 
FREE BLOGGER TEMPLATE BY DESIGNER BLOGS